Sábado, 30 de Agosto de 2008

A mãe que não gosta da Rebelde Way

Às vezes apetece-me falar de filmes e de música... apetece-me falar de expriências mas chego à conclusão de que eu não sou ninguem para falar de coisas. Não tenho tenho expriência de vida numas áreas, e conhecimento aprofundado noutras. Quanto à primeira não tenho a culpa, na segunda nem por isso.

Sou por natureza um pouco exigente comigo, e mais ainda com os outros. Entre a exigência e a perfeição, não sei qual prezo mais (sei.. é a exigência LOL). E por isso, quando avalio os outros, sei que fico muito mais sujeito a uma avaliação, o que não me deixa confortável.

Isto para dizer que ultimamente tenho comentado algumas coisas que me parecem completamente descabidas. Tenho comentado várias opiniões diferentes das minhas, e refiro-me a algumas situações concretas.

Numa, uma mãe comenta com amigas bloguistas a pedagogia de algumas novelas e consequentemente o que deve ou não deixar o filho de 11 anos ver na televisão. Não me parece lógico. Primeiro, porque a minha mãe sempre me deu uma educação baseada em principios, que cedo compreendi, e sempre fui muito autónomo nas minhas escolhas. Segundo, porque com 11 anos tem-se (eu tinha) a perfeita noção do que é ficção e realidade. Quando tinha essa idade, não equacionava sequer que a minha mãe decidisse por mim o que ver na televisão... aqui está o exemplo acerca da 'Rebelde Way':

 

"Eu não vi, ando a acompanhar a novela "A OUTRA". O meu R. ainda me pediu para mudar, mas eu achei que não deveria ser uma novela pedagógica para um miúdo de 11 anos, depois de ter lido já alguns artigos a respeito da mesma"

 

Ao que eu respondi (resumido):

 

"O seu comentário começa a ser típico (...) No entanto, decidir por comentários alheios o que o filho de 11 anos ver ou não na televisão (já por si um acto duvidável), não me parece racional. E se tem tantas dúvidas em saber escolher o que é melhor o seu filho ver, só transmite a ideia de que não tem confiança na educação que lhe deu..."

 

O que é bem capaz de ser verdade (educação dada ao filho). A escassa hipotesse de se tratar de uma mulher de conduta irrepreensível e esforçada a evitar a todo o custo que o filho tivesse contacto com conteúdos menos pedagógicos, esgota-se rapidamente. Primeiro, não tomava decisões por 'artigos' que viu. Depois não via 'A Outra', afinal a novela da TVI está para o público mais velho assim como a 'Rebelde Way' está para os jovens. E sobretudo, já tinha transmitido muito antes esses mesmos valores ao filho.

E para terminar, quando penso que não sou dos mais habilitados para dizer qualquer coisa de interessante, aparece-me coisas destas à frente... =P

 

[Com isto não quero dizer que tenha a 'Rebelde Way' como uma referência de pedagogia infantil]

 

música: Two Hands and Ten Fingers - Last Days of April

publicado por david. às 00:56
link | favorito
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


.contra


. perfil

. amigo ou colega?

. 27 seguidores

.pesquisar

 

.posts

. De vez em quando

. Tempo

. Coisas boas

. Trabalho de Psicologia / ...

.já passou

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Outubro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

.links

SAPO Blogs